Arquipélago é finalista do prémio de arquitetura RIBA

For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

O Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, um projeto com assinatura de João Mendes Ribeiro e ‘Menos É Mais Arquitetos’, de Cristina Guedes e Francisco Vieira de Campos, é um dos seis finalistas do prémio internacional de arquitetura do Royal Institute of British Architects (RIBA), cujo vencedor será anunciado a 24 de novembro.

Os restantes cinco projetos que integram a lista finalista são o Heydar Aliyev Center, da arquiteta Zaha Hadid, no Azerbeijão, a Universidad de Ingeniera y Tecnologia, de Grafton Architect, no Perú, o Stormen Concert Hall, de DRDH Architects, na Noruega, o The Ring of Remembrance, da Agence d’Architecture Philippe Prost, em França, e o Museo Jumex, de David Chipperfield Architects, no México.

Numa primeira fase deste prémio foram incluídos 30 projetos oriundos de mais de duas dezenas de países, de entre os quais foram selecionados os seis finalistas, aguardando-se agora a decisão do júri relativamente àquele que será considerado como “o mais significativo e inspirador edifício do ano”.

Há 50 anos que o Royal Institute of British Architects defende e celebra o melhor da arquitetura em todo o mundo, e, desde há três anos, através da instituição deste prémio internacional.

O Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas foi galardoado, em junho, com o Prémio FAD de Arquitetura 2016, promovido pela associação espanhola Arquifand, tendo sido também nomeado para o Prémio Europeu de Espaço Público Urbano – Centro de Cultura Contemporânea de Barcelona e premiado na X Bienal Ibero-Americana de Arquitetura e Urbanismo.

Em 2015, ficou entre os 40 projetos selecionados para o prémio internacional Mies van der Rohe.