70 Anos da Declaração Universal
dos Direitos Humanos

EXPOSIÇÃO

3 dez 2019 - 6 jan 2020

Exposição

70 Anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos

3 dez 2019 – 6 jan 2020

Piso 1 Loja

//

O ARQUIPÉLAGO – Centro de Artes Contemporâneas recebe, entre 3 de dezembro de 2019 e 6 de janeiro de 2020, uma exposição de cartoons sobre Direitos Humanos.

A exposição, organizada pelo Museu Nacional da Imprensa (MNI) e promovida pela CRESAÇOR, reúne cerca de 50 trabalhos de artistas de 43 países e constitui uma oportunidade para celebrar o 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, adotada pela ONU a 10 de dezembro de 1948, em Paris.

A evocação iniciou-se na sede do MNI, em dezembro do ano passado, com desenhos de várias edições do PortoCartoon e espalhou-se por diversos países, de Portugal ao México. Neste contexto, criou-se uma “Rota do Humor pelos Direitos Humanos”, como forma de sublinhar a importância do cartoon como linguagem que contribui para a reflexão sobre grandes causas da humanidade.

Cartunistas relevantes, vencedores de vários prémios em certames internacionais, estão representados nesta mostra que ficará patente no ARQUIPÉLAGO – Centro de Artes Contemporâneas até 6 de janeiro 2020.

Esta mostra internacional, com a curadoria do diretor do Museu Nacional da Imprensa, Luiz Humberto Marcos, tem o apoio institucional da Comissão Nacional UNESCO.

No âmbito da semana dos Direitos Humanos, irá ter lugar no Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, uma Mesa Redonda “O Poder da Mensagem”, partindo da premissa de que o conteúdo da mensagem, nas suas diferentes formas, constitui o elemento central para a promoção e defesa dos Direitos Humanos.

“A mesa redonda pretende ser um espaço de reflexão sobre o poder de comunicar, transversal a todas as esferas sociais, mas que ganha ainda maior importância quando é feito por agentes com poder de influência. Desafia-nos a pensar no dilema dos profissionais em permanecerem factuais enquanto contam histórias humanas, a explorar o impacto do preconceito inconsciente no conteúdo e na produção criativa, ao mesmo tempo que nos desafia a desconstruir o incitamento ao ódio e a conhecer exemplos de como o preconceito inconsciente pode influenciar a tomada de decisão.”

 

Voltar à Programação